Dê-se uma prova de amor

Só se magoa quem é magoável

“Se compreendêssemos, nunca mais poderíamos julgar”
André Malraux

Mais um dia se inicia. Você tem suas tarefas, sua rotina a cumprir. No meio dessa história toda, pessoas entram e saem da sua vida, algumas queridas outras nem tão amadas assim… Sem perceber, você acaba vivendo, muitas vezes, em função dessas pessoas: mãe, amigos, namorado(a). Você quer tornar alegre a vida das pessoas que ama e, muitas vezes, se esquece da sua própria vida.

Quando você diz ‘sim’ para um convite feito por uma amiga querida, querendo dizer ‘não’… onde fica você nessa história? Seus interesses, suas vontades e suas convicções muitas vezes ficam em segundo plano e, isso, já é um erro.

Não pretendo neste post dissertar sobre quando nos anulamos frente a alguma pessoa ou situação. Claro, que esta é uma atitude que nos afasta da nossa luz e do nosso poder divino e que, devemos ter claros em nossa mente de que nada nesse Universo vale a nossa paz de espírito. Sabendo disso, então, alguma vez já pensamos no que acontece nas nossas vidas quando agimos dessa maneira?

As pessoas se preocupam em agradar, às vezes mudam o jeito de ser para se adequarem, abafam as suas opiniões para tentar não decepcionar uma outra pessoa… mas será que é só isso? No fundo, o ser humano que age dessa maneira espera um reconhecimento, uma retribuição e, talvez, aja dessa maneira para suprir suas carências internas, já que tem plena certeza de que será retribuído da mesma maneira.

Entretanto, essa retribuição muitas vezes não acontece, e é aí que se encontra o ambiente perfeito para a sua luz ser abafada e você se sentir desvalorizado e incompreendido.

Primeiramente, é preciso entender que cada um vive na sua verdade. Não existe uma verdade que valha para todos. Eu vivo de acordo com aquilo que acredito; já você tem as suas verdades… as ‘leis’ do seu universo particular.

Qual das verdades é a correta? Todas… e nenhuma! Não há que se nomear um modo de vida e pensamento em ‘correto e incorreto’… Mas todos devem ser avaliados de acordo com a profundidade de ligação que estas convicções tem com o coração de cada pessoa. Vocês entendem? É como se cada um fosse seu próprio dono, juiz de sua vida.

Cada um tem uma história e, na estrada da sabedoria e da luz, cada um está em um patamar… O que não torna ninguém, melhor ou pior que alguém.

Compreendido que cada um tem a sua verdade, conseguimos trabalhar o nosso lado do ‘ não – julgamento’, já que a compreensão está, agora, infiltrada em nossos corações.

A partir daí, é preciso lidar com a relação entre expectativas e frustrações. Expectativa é você quem cria e, assim o faz, por esperar do outro uma atitude que você tomaria; isso acaba quando você, novamente, considera as ‘leis do universo do outro’… Ele não agirá como você, visto que ele não é você.

Simples, não é!? Nem tanto! É um trabalho que necessita de vigilância e persistência; o não-julgar vai nos tornando pessoas melhores e empáticas… nos faz bem e faz bem ao outro!

Seguindo essa linha de raciocínio, afirmo a vocês que se você está triste, magoado, com raiva ou desmotivado, a responsabilidade é sua, totalmente sua! Costumo dizer, com a permissão do neologismo, que só se magoa quem é ‘magoável’… só se atinge com palavras de pouca luz, quem é ‘atingível’ e, por aí vai.

O que quero dizer com isso?  Quero dizer que se você se magoou com uma atitude da sua mãe ou namorado, por exemplo, foi porque você se permitiu; você permitiu que as verdades do mundo dessa pessoa se impusessem sobre as suas verdades… você se anulou. Quando alguém te insulta, fala mal de você pelas costas ou cria falsas histórias para te atingir e, com êxito,consegue, foi porque você foi ‘atingível’ naquele momento; você estava aberto para a verdade de terceiros…

Meus queridos, é impossível fazer com que todos gostem de você…lembrem-se das verdades: se as ‘leis’ que regem o mundo daquele seu colega de trabalho forem totalmente opostas às suas – mas nem por isso erradas ou mais valiosas, é claro que vocês não se darão bem, visto que tem propósitos de vida totalmente opostos.

Parem de se anular, de permitir que os outros lhe tirem a paz e a harmonia. Quando você sentir que, em alguma situação, você está ficando estressado ou chateado, logo pense dessa maneira: “Você não vai conseguir me estressar… eu não vou me magoar com isso; eu compreendo o momento de evolução de cada um e respeito as suas escolhas, mesmo que não concorde”.É como se você se fechasse em uma bolha intransponível de luz e serenidade… ninguém é capaz de atravessá-la!

O importante é aceitar existência de incontáveis verdades individuais, vindas de Universos particulares, respeitá-las e amar a si próprio em primeiro lugar… Afinal, quando não permitimos que o estresse nos domine ou que passemos 3 horas chorando pelos cantos por algum determinado motivo, estamos, certamente, nos dando uma imensa prova de amor.

Amor, luz e consciência. Sempre.

Cíntia Michepud

1 comentário Adicione o seu

  1. sandra disse:

    obrigada!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s