A soma de duas potências: mudras e mantras

Provincia Tibet

Bom dia, amados seres de luz,

Hoje, vamos trazer a vocês a unificação de duas potências: os mudras e o mantra Om Ah Hum Vajra Guru Padme Siddhi Hum. Como já sabemos, tanto os mudras quanto os mantras tem um potencial incrível para ajudar no nosso equilíbrio e atingir a nossa luz. E esse mantra, em especial, tem uma série de gestos que permite que nosso corpo aja juntamente com o som entoado, potencializando sua ação.

Vamos nos lembrar desse mantra? O Om Ah Hum Vajra Guru Padme Siddhi Hum (veja o post sobre esse mantra clicando aqui) atua diretamente em três das nossas dimensões: a interna, a externa e a secreta. Ou seja, ele pode harmonizar a mente, o corpo e o espírito daqueles que o recitam, fazendo a energia fluir com maior equilíbrio.

Já os mudras (para ler o post sobre mudras, clique aqui) são gestos feitos com as mãos que nos sintonizam com frequências específicas do Universo. Eles são capazes de nos ajudar a reencontrar o equilíbrio, funcionando com “antenas” que nos auxiliam a captar o que o Universo está transmitindo.

Quando somamos esses dois meios, criamos um enorme vórtice de energia, atraindo o equilíbrio, a harmonia e a luz para nós mesmos e para onde estivermos. Para praticá-los, basta entoar o mantra enquanto pratica a série de gestos colocada a seguir. Conforme cada sílaba vai sendo vocalizada, o gesto é modificado. A velocidade do movimento é você que irá comandar. Conforme você vai ficando mais à vontade, acelere o movimento, até criar um fluxo contínuo entre você, o mudra, o mantra e o Universo.

Obs.: As fotos utilizadas a seguir foram encontradas na Internet. Caso você seja o dono delas, ou conheça quem é, por favor, entre em contato para que possamos solicitar a autorização de direito autoral ou remover as imagens aqui veiculadas.

Om

Vajra Guru - Om

Enquanto entoa essa sílaba, una as mãos na altura do chakra coronário, que fica no topo de nossas cabeças.

Ah

Quando mudar de sílaba, baixe suas mãos, ainda unidas, para o seu chakra laríngeo, que fica na altura do pescoço.

Hum

Vajra Guru - Hum

Agora, as mãos continuam juntas, porém vão até nosso chakra cardíaco, na altura do osso esterno.

Vajra (Benza)

Vajra Guru - Vajra

Nessa sílaba (que se lê Benza), as mãos se separam, mas mantém a mesma posição: a ponta do indicador toca a ponta do polegar enquanto os outros dedos estão estendidos. A mão esquerda fica na altura do coração, com a palma da mão para cima. Já a mão direita aponta para o chão, com a palma da mão voltada para seu corpo.

Guru

Vajra Guru - Guru

Na sílaba Guru, a mão esquerda não se move, enquanto a mão direita vira para a frente. Os polegares e os indicadores continuam unidos.

Padme (Pema)

Vajra Guru - Padme

Traga agora sua mão direita na direção da esquerda, fazendo com que os dedos indicadores encostem um no outro. Os outros dedos continuam estendidos: os dedos da mão esquerda ficam sobre os dedos da mão direita.

Siddhi

Vajra Guru - Siddhi

Ao entoar o Siddhi, levante a mão direita na altura de seu rosto, ao lado de sua orelha direita. Mantenha a mão esquerda na altura do coração e os dedos polegares e indicadores encostados.

Hum

Vajra Guru - Hum (F)

Ao entoar a sílaba final deste mantra, traga a mão direita para a altura da mão esquerda, mais ou menos na altura do coração. A mão direita fica um pouco acima, com a palma virada para frente, enquanto a mão esquerda fica exatamente como estava antes.

Apesar de parecer um pouco complexo no começo, a prática dessa sequência de movimentos é simples e bastante prazerosa. Quanto mais treinarmos e utilizarmos, mais energia faremos fluir, facilitando a ação desse mantra e do equilíbrio em nossas vidas.

Aproveito para trazer outro vídeo com esse mantra, em um outro ritmo. A gravação de de Sarva-Antah.

Muita luz, amor e sabedoria a cada um de vocês,

Namastê!

Pedro Michepud

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. ariama disse:

    qual a diferença entre ritual e serimônia???

    1. Claudia Michepud Rizzo disse:

      Olá Ariama,
      De um modo bem simples, cerimônia é a forma exterior e regular de um culto, por exemplo, a cerimônia do batismo. Ritual, no contexto religioso, é o aspecto da ação religião; é o comportamento prescrito para ocasiões formais não sobre os procedimentos, mas sim, sobre as noções de seres místicos ou poderes.
      Espero ter esclarecido sua dúvida.
      Muita luz, sempre!
      Aloha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s