Se eu quiser que algo mude, tenho que começar dentro de mim…

Pedra na água

Seja a mudança que você quer ver no mundo
Dalai Lama

Hoje quero compartilhar com vocês uma reflexão que fiz a partir de uma conversa que tive com uma pessoa muito querida, que expressava o seu inconformismo diante dos acontecimentos do mundo, como violência, falta de respeito, falta de amor, maldades de modo geral…

A sua argumentação estava pautada na raiva, na vontade de mudar as pessoas, o mundo… E foi nesse ponto que a nossa conversa teve início…

…Se queremos mudar o mundo, temos que começar a mudar o que temos internamente… Toda mudança começa de dentro para fora… Não existe outro caminho!

Somos experts em querer mudar as políticas do governo, as atitudes do vizinho, o comportamento do namorado (a), chefe, mãe…  Quando olhamos para o outro, somos críticos, duros… Mas quando voltamos o olhar para nós mesmos, somos mais complacentes… Acreditamos que não temos o poder para promover mudanças no mundo, nas pessoas… E começamos a navegar num mar de reclamações e insatisfações… Acreditamos que a nossa ação não vai fazer a menor diferença para alterar o panorama dos acontecimentos ruins…

Isto não é verdadeiro!!! Podemos e devemos fazer a nossa parte!

As nossas atitudes vão agir através da ressonância… Da mesma forma que acontece quando jogamos uma pedra no meio do lago e a água se expande em círculos… O nosso comportamento tem efeito sobre os outros… Isto é indiscutível… Pode não atingir a todos mas, com certeza, toca alguém…

Vou transcrever um fato (retirado do livro “Faça a diferença”, do Gustavo G. Boog), que ilustra muito bem o que eu quero dizer:

“Recentemente, fomos á cidade de táxi. Quando chegamos, minha amiga disse para o motorista:

– Muito obrigada. Você guia muito bem.

O motorista do táxi ficou estupefato por um segundo. Então disse:

– Está querendo me gozar, minha filha?

– Não, meu caro, de jeito nenhum. Admiro a forma como você consegue ficar calmo no meio desse trânsito todo.

– Falou – disse o motorista – E foi embora.

_ Mas que conversa é essa?! – indaguei, meio perplexo.

– Estou tentando trazer o amor de volta – respondeu ela. – É a única coisa que pode salvar esse mundo.

– E como é que uma pessoa só pode salvar esse mundo?

– Não é só uma pessoa. Acho que fiz o motorista de táxi ganhar o dia. Suponha que ele vá pegar mais uns 20 clientes. Vai ser simpático com eles porque alguém foi simpático com ele também! Aí, esses clientes vão ser mais amáveis com os seus empregados, com os balconistas das lojas e, até mesmo, com seus próprios parentes. Esses, por sua vez, serão mais simpáticos com as outras pessoas. Eventualmente, essa atmosfera de boa vontade pode se alastrar e atingir, pelo menos, umas mil pessoas. Nada mal. Não acha?

– Mas você está dependendo desse motorista para transmitir sua boa vontade aos outros.

– Não estou – disse minha amiga – Estou ciente de que o sistema não é infalível. Hoje, sou capaz de contatar com 10 pessoas diferentes. Se, em cada 10, conseguir fazer 3 felizes, então posso acabar influenciando, indiretamente, o comportamento de três mil pessoas ou mais.

– Parece boa idéia – admiti – mas não estou certo de que dá resultado.

– Se não der, não se perde nada. O fato de dizer àquele homem que estava fazendo um bom trabalho não me roubou tempo nenhum. Qual é o problema se ele não ligou? Amanhã haverá outro motorista de táxi para eu elogiar…”

Pense nisso! Faça a sua parte! Persista! Se você quiser mudar alguma coisa, comece mudando a sua atitude!

Aloha

Claudia Michepud Rizzo

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Maria Helena disse:

    Sábias palavras, Cláudia! Se cada um fizer um pouquinho poderemos mesmo ter um mundo melhor! Realmente podemos fazer a diferença se mudarmos as nossas atitudes. O trânsito mesmo é um ótimo exemplo. Outro dia levei uma fechada e quase dei aquela buzinada “caprichada”, mas algo me disse que eu não iria ganhar nada com aquilo… Respirei fundo e continuei o meu caminho. Se eu tivesse buzinado, só iria ficar com mais raiva, abrir espaço para o outro motorista ser mais estúpido ainda e quem sabe até causar uma briga no trânsito que poderia até atingir terceiros que nada tinham a ver com a história, né? Muita luz para todos! Bjos!

    1. Claudia Michepud Rizzo disse:

      Olá querida Maria Helena!
      Eu, verdadeiramente, penso como você!
      Espalhar sementes de amor e compreensão geram uma energia mais harmônica e equilibrada no nosso planeta… Pode ser que nós não consigamos fazer germinar todas as sementes, mas aquelas que forem germinadas, certamente trarão frutos…
      Lindo dia, cheio de luz para vc!!
      Bjs

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s