A limpeza através da Calma e Quietude

Limpe sua mente, como um riacho faz com suas águasBom dia, amados seres de luz,

Hoje, trago uma história que nos fala da mente, da quietude e da necessidade de aprendermos a nos manter calmos e serenos, sem agitar o fluxo de pensamento constante que temos a todo instante.

O riacho e a mente

Um dia, Buda ia passando por uma floresta. Era um dia quente de verão e ele estava sentindo muita sede. Disse então a Ananda, seu principal discípulo:

– Ananda, volta para trás. Nós passamos por um pequeno riacho há apenas cinco ou seis quilômetros. Traz-me um pouco de água – leva a minha tigela. Estou sentindo-me cansado e com muita sede.

Ele já estava velho. Ananda voltou para trás, mas quando lá chegou, tinham acabado de passar alguns carros de bois pelo riacho, enchendo-o de lama. As folhas secas, que tinham assentado no fundo, estavam agora boiando na superfície; já não era possível beber esta água – estava demasiada suja. Regressou de mãos vazias e explicou:

– Mestre, vai ter que esperar um pouco. Eu vou à frente. Disseram-me que uns três ou quatro quilômetros mais à frente há um grande rio. Vou lá buscar a água.

Mas Buda insistiu e pediu: – Volta para trás e traz a água daquele riacho.

Ananda não conseguia entender a insistência mas, se o mestre dizia, o discípulo tinha que obedecer. Mesmo vendo o absurdo daquilo – tinha que voltar outra vez a andar cinco ou seis quilômetros, sabendo que a água não prestava para beber -, ele foi. E quando já ia se afastando, Buda disse-lhe:

– E não voltes para trás se a água ainda estiver suja, tu senta-te simplesmente quieto na margem. Não faças nada, não entres no riacho. Senta-te quieto na margem e observas. Mais cedo ou mais tarde a água vai ficar limpa outra vez e então podes encher a tigela e regressar.

Ananda lá foi. Buda tinha razão: a água estava quase limpa, as folhas tinham-se ido embora, a poeira tinha assentado. Mas ainda não estava absolutamente limpa, por isso ele sentou-se na margem e ficou observando o riacho a correr. Pouco a pouco, o riacho foi tornando-se cristalino.

Então, Ananda regressou. Ele tinha compreendido porque é que Buda estava insistindo tanto. Havia nisto uma determinada mensagem, e ele tinha compreendido-a. Deu a água a Buda, agradeceu-lhe e tocou-lhe nos pés.

Buda perguntou: – O que é que estás a fazer? Eu é que te devo agradecer por me teres trazido a água.

– Agora consigo compreender – disse Ananda. – Primeiro, eu fiquei zangado; não demonstrei, mas estava zangado porque era absurdo voltar para trás. Mas agora entendo a mensagem. Era disto que eu precisava realmente neste momento. Ao sentar-me na margem daquele riacho, fiquei ciente de que o mesmo se passa com a minha mente. Se eu saltar para dentro do riacho, vou deixá-lo sujo outra vez. Se eu saltar para dentro da minha mente, cria-se barulho, mais problemas começam a vir de cima, para a superfície. Ao sentar-me na margem, eu aprendi a técnica.

Agora vou sentar-me também ao lado da minha mente e vê-la com toda a sujidade e problemas, com suas folhas velhas e secas, com suas feridas e memórias. Sem me preocupar, vou observá-la sentado na margem, à espera do momento em que tudo fique limpo, através da compreensão daquilo que, verdadeiramente, é real.”

Muito legal, não?

E isso se aplica completamente em nossas vidas. Quando temos muitos desafios e tarefas a executar, naturalmente nossa mente se agita e acabamos por mergulhar nela para achar as soluções. Entretanto, essa decisão deixa a visão ainda mais turva, afinal quanto mais nos agitamos, mais aceleramos o turbilhão de pensamentos.

A saída, então, é buscar nos aquietar, deixando que o fluxo de energia e de pensamentos corra, apenas observando-o. Com isso, a “água” se tornará límpida e a energia e a voz de nosso coração aflorará, clareando as respostas para todas as tarefas e desafios que se colocam à nossa frente.

Pensem nisso, e deixem o melhor de vocês florescer a cada momento,

Muita luz, amor e sabedoria a cada um de vocês,

Namastê

Pedro Michepud

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. vera disse:

    Depois de fervilhar minha mente com mil reviravoltas e confusões ,hoje encontrei estas palavras que, espero, possam acalmar meus pensamentos e me levar a reflexões capazes de abrir novos horizontes em minha vida.Que eu tenha a lucidez de ouvir a voz de meu coração,me acalmar e seguir meu caminho de luz.Do fundo de minha alma agradeço ,neste momento fazem 48 horas que não vejo ninguém,me recolhi,não tendo vontade de falar nem de ouvir. Creio que esta luz abrirá minha mente e meu coração. Que esta luz e sabedoria nunca se perca de VOCÊS.

    1. Olá Vera,
      Deixe, sempre, a voz de seu coração falar. Sempre temos saídas de luz, por mais densas ou difíceis que elas possam parecer. Basta estarmos atentos à voz do nosso coração, deixando expandir o nosso mais puro amor. Afinal, o que vale em nossa vida é escolher o nosso melhor e fazê-lo vir à tona. Assim, clareamos os caminhos que se abrem a cada instante em nossa frente, encontrando possibilidades muito belas, suaves e de muita luz.
      Nós é que agradecemos por você ter nos visitado. Que esse blog possa ajudar a despertar em ti o mais pura amor e a mais pura luz que existe em você.
      Creia: O seu maior poder está em você mesma!
      Muita sabedoria a ti,
      Namastê

  2. clecir disse:

    Grata… Grata!! estou aprendendo a ouvir meu coraçao, confesso que esta sendo dificil, o ego , o racional se faz predominante em mim, mas quero mudar, quero saber amar e expressar melhor o amor que ha em mim. Hoje sei que por nao ouvir meu coraçao, é que as coisas nao acontecem de forma feliz para mim, e revivo experiencias ruins nos relacionamentos, sempre o caminho pro final é o mesmo. E hoje estou em uma encruzilhada, mas vou olhar pra dentro de mim e tentar ouvir o que meu coraçao quer que eu faça e tentar segui-lo.
    PAZ E AMOR SEMPRE.

    1. Olá Clecir,
      Nós é que somos gratos por sua visita.
      Ao aquietarmos nossa mente, começamos a ouvir a voz que vem de nosso coração. Dessa forma, passamos a agir com nossa essência, deixando aflorar a cada momento o mais puro amor e a luz que todos temos dentro de nós.
      É interessante observar a sua colocação do “revivo experiências ruins”. Legal você já ter identificado isso. Agora, basta você ver o que está se repetindo em sua vida e quebrar esse padrão de repetição, parando de agir no “piloto automático” e inserindo o seu coração e sua luz nas suas atitudes.
      Sempre que estiver em dúvida, tome uma respiração profunda e deixe seu coração falar… Você verá o quão profunda e inovadora é a voz dele.
      Muita luz, sabedoria e amor,
      Namastê,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s