Auto-observação

observar

No dia 13 de junho de 2010, indicamos o livro ‘A magia do Caminho Real’, da autora Anna Sharp. Assim como fiz outras vezes, sempre que estou lendo um livro, gosto de compartilhar com vocês alguns trechos que podem nos despertar algo interiormente ou induzir uma pequena mudança no modo de ver a vida.

Quero indicar um trecho que fala, entre outras coisas, sobre a ‘auto-observação’. Simples, porém profundo. Vamos à leitura?

“(…)

Primeiramente nos reconhecemos como criadores e nos responsabilizamos por nossa vida. Começamos a perceber que criamos as causas dos efeitos que vivemos.

A etapa seguinte é a lenta e gradual modificação dos hábitos, ou seja, ‘o uso’ dos padrões sistematizados de comportamento que geram resultados negativos para o nosso entendimento.

É nessa mudança do uso de padrões que começamos a perceber que, senão tudo, quase tudo que nos acontece é provocado por nós mesmos e que o outro nada mais é do que um mero coadjuvante na peça que montamos e da qual somos escritor, produtor, diretor, crítico de arte e ator principal.

Este é um processo às vezes cansativo, porém com resultados extremamente gratificantes.

Dentro dele, o primeiro passo é o autoconhecimento, ou seja, ver a si mesmo ‘de verdade’, sem os disfarces e as máscaras que costumamos usar. Temos muito medo de nos encarar receando o ‘monstro’ que vamos encontrar, reprimido e escondido em nosso interior; se temos a coragem para esse primeiro passo, o seguinte é aceitar que essa é a nossa condição humana e que somos todos assim.

Também encontraremos, seguramente, o outro lado em todos os seres. Nunca encontrei uma pessoa sequer que, por detrás das máscaras, não fosse um ser lindo e delicado; aprendi a não me deixar iludir pelas aparências do ego que usamos para nos defender.”

Quanto mais evitarmos esse contato com o nosso interior, mais superficiais e volúveis a opiniões externas estaremos. Quem é você? Do que você gosta? É claro que nunca teremos respostas prontas e concretas para essas perguntas, porém, podemos ter claro – para nós mesmos – aquilo que nos faz feliz e que nos satisfaz a alma.

Se observe, não reprima suas vontades, não deixe de falar o que deseja por receio de ser julgada. Quanto mais você se conhecer, mais você se amará e, consequentemente, mais o Universo agirá a seu favor.

Amor, luz e consciência. Sempre.

Cíntia Michepud

Anúncios

4 comentários Adicione o seu

  1. Tathi disse:

    Eta familia querida, sô! rsrsrs… Adorei o post de hj. Acho mto interessante e importante nos conhecermos a fundo. Pensar um pouco em nós mesmos, não de forma egoísta, mas de forma reflexiva!!!
    Beijos, queridos!

    1. Claudia Michepud Rizzo disse:

      Tathi querida!!!
      Vc tem razão: Auto-conhecimento é a base de uma vida harmônica e equilibrada…
      Beijo enooorme
      Aloha

  2. Cláudia disse:

    Maravilhoso! Gratidão por compartilhar!

    1. Claudia Michepud Rizzo disse:

      Cláudia!
      Agradecemos muito a sua visita e comentário!
      Aloha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s