Coitadinho de mim…

MatilhaEm alguma medida, cada um de nós já sentiu um pouco de pena de si, mas quando esta atitude se torna uma forma de ser e agir no mundo, ela é extremamente danosa. O “coitadinho de mim” acha que tudo de pior só acontece com ele, está sempre no pior lugar, é afetado pelas piores desgraças, ninguém reconhece o seu valor, é uma sucessão de choros e lamentos…

Não sei se este é seu caso, mas se for, desperte! A vida não precisa ser assim… É bem verdade que há momentos em que as dificuldades são tantas que não vemos saída. Mas elas existem! Enxergá-las ou não pode ser tão somente uma questão de escolhas e, a cada momento fazemos escolhas que determinam o que vamos viver. Se escolhermos ficar no “coitadinho de mim”, será esta situação que continuaremos atraindo, num círculo sem fim!

Não se pergunte o porquê desta situação estar acontecendo com você. Que tal explorar o quê e como? Estas expressões abrem caminhos, arejam e iluminam ao invés de colocar lente de aumento no que está a incomodar: O que eu quero fazer? Que hábitos quero mudar? Como sair desta enrascada? Quais são as alternativas? A quem posso recorrer? Quem pode me ensinar e aconselhar? Como posso melhorar? O que eu devo aprender?  São perguntas que libertam sua energia em busca de uma solução.

O texto abaixo da Andrea Palermo nos trás excelentes reflexões sobre o assunto:

“Cada um tem em si o coitado que deseja… Escolher é a opção!

Algumas situações do dia a dia me fazem pensar, repensar, refletir…

Como existe gente que perde oportunidades na vida… Eu mesma já perdi algumas…

E o fazem com maestria rara, com tal fervor que convence qualquer um que é uma vítima das circunstâncias…

Especialistas em reclamar, em se julgar injustiçados e fechar os olhos frente ao brilho do desafio…

Pobres, medíocres, coitadinhos…

Não há consciência de que os que alcançaram o tão almejado “sucesso”, de alguma forma tiveram que fazer a diferença. Alguns abriram mão de noites de sono, de conveniências, estudaram, experimentaram, outros se dedicaram além do possível e fizeram do impossível apenas um acessório… Mas todos, sem exceção, cruzaram a linha do mediano, do normal, da obrigação. Deixaram de pensar como a média e passaram a ter resultados acima da média.

Os eternos aprendizes de coitados até seguem a vida de maneira serena, mas com total ausência de consciência na realidade… Clamam, reclamam, choram, argumentam no vazio… Querem o reconhecimento, lamentam-se por não serem valorizados… Mas aí eu digo: Reconhecer exatamente o que???

Essa reflexão vale para todos nós que um dia já nos fantasiamos de coitadinhos… Inclusive eu… Culpamos a má sorte, o signo, o vizinho, as origens, o cachorro, até a chuva…. Mas nunca a nós…

Almejamos o reconhecimento com base no quê? O que fizemos a mais?

A todos os coitadinhos de hoje, vai uma dica de uma coitadinha de ontem: Levanta-te e anda… Acorde! As oportunidades muitas vezes estão camufladas, disfarçadas, fantasiadas de problemas… Tudo depende de como olhamos. A escolha é nossa. Sempre há a possibilidade de recomeçar e fazer diferente. Experimente olhar com os olhos do amor e pare de enxergar através das sombras e tenha o prazer inenarrável de enxergar na luz…

Mesmo uma pedra bruta para ser jóia precisa ser lapidada. Seja você o designer de suas jóias. Tenha a verdadeira visão dos tesouros divinos que se camuflam em meio ao que chamamos de problemas. Insista, não resista.

Tempo?! Sempre há, mas faça algo por você agora. Deseja algo diferente para sua vida? Faça algo diferente, mas mexa-se.

Não espere ser reconhecido pelos outros pelo simples fato de você existir… Reconheça-se você mesmo e todos, por ressonância, o reconhecerão também.

Acredite! Você já existe, aí, AGORA!

“Me joguem aos lobos e volto como chefe da matilha!”

Sou grata! Sou grata! Sou grata!”

Bons ventos lhe soprem o que precisa para ser feliz!

Márcia de Lucena Saraceni

Fonte: http://www.administradores.com.br

Anúncios

2 comentários Adicione o seu

  1. Cira Munhoz disse:

    Parabens, parabens, parabens pelo texto.
    O mundo tá cansado de INHOS e ISMOS.
    Que bom ver vozes que proporcionam esse acordar. Os coitadINHOS nos seus achISMOS não apenas sofrem suas dores, mas tentam nos convencer a sofrer com eles.
    meus aplausos.

  2. Márcia Lucena disse:

    Cira
    Realmente esta postura de INHOS e ISMOS não ajuda a pessoa a mudar e crescer nem ajuda o mundo.
    É tempo de mudanças e, para isso, todos tem que se responsabilizar por si e aprender a fazer escolhas para ser feliz!
    Grata pelo seu comentário!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s