Carpa, a busca pelo dragão interno

Carpa japonesa, um dos animais com o qual podemos aprenderVocês sabiam que a carpa, aquele belo peixe que, geralmente, é encontrado em jardins japoneses, pode adaptar seu tamanho de acordo com o meio em que crescem? A partir dessa curiosidade, trazemos hoje, à vocês, um texto de Paulo Coelho que nos auxilia a fazer uma reflexão sobre o nosso tamanho espiritual e intelectual e sobre como podemos fazer para evoluirmos e crescermos constantemente.

Vamos à leitura?

A carpa japonesa (koi) tem a capacidade natural de crescer de acordo com o tamanho do seu ambiente. Assim, num pequeno tanque, ela geralmente não passa de cinco ou sete centímetros – mas pode atingir três vezes este tamanho, se colocada num lago.

Da mesma maneira, as pessoas têm a tendência de crescer de acordo com o ambiente que as cerca. Só que, neste caso, não estamos falando de características físicas, mas de desenvolvimento emocional, espiritual e intelectual.

Enquanto a carpa é obrigada, para seu próprio bem, a aceitar os limites do seu mundo, nós estamos livres para estabelecer as fronteiras de nossos sonhos. Se somos um peixe maior do que o tanque em que fomos criados, ao invés de nos adaptarmos a ele, devíamos buscar o oceano – mesmo que a adaptação inicial seja desconfortável e dolorosa.

Simples, porém profundo, não?

Na mitologia oriental, a carpa é um dos animais que possuem um significado muito profundo. Ela representa a força para alcançar os objetivos e a determinação em superar obstáculos, já que é ela que enfrenta grandes vales e cascatas para atravessar o Portal do Dragão e conseguir fazer a desova no Rio Amarelo. Acredita-se que, se a carpa conseguir atravessar esse portal, se tornará um dragão, ganhando um aspecto totalmente diferente.

Acredito, então, que a principal mensagem deixada hoje é exatamente essa: devemos correr atrás de nossos sonhos, romper as barreiras que seguram nossa expansão e, assim, deixar que nosso melhor desperte. Afinal, todos temos dentro de nós um potencial infinito para a felicidade, harmonia, inteligência e todos os demais atributos de luz que queremos desenvolver.

No início, isso pode até criar um certo incômodo, pois teremos que sair de nossa zona de conforto e “atravessar grandes vales e cascatas”, como as carpas. Mas conforme formos nos acostumando e nos movendo, veremos o quão brilhantes e potenciais somos em nossa existência.

Uma ótima semana a todos,

Namastê,

Pedro Michepud

Anúncios

3 comentários Adicione o seu

  1. Bruna Angelica disse:

    Arrepiei! Bom dia a todos, abraços energéticos!!!

    1. Com certeza, uma bela reflexão.
      Lindo dia!
      Namastê

  2. Junior disse:

    Por isso eu digo, nunca pise em uma carpa, pois amanhã essa carpa poderá ser o dragão que perseguirá você

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s