Bem sofrer…

bem sofrer

Acho que ninguém tem dúvidas que todo ser humano sofre… Em maior ou menor intensidade, mas sofre… Lembro da minha mãe dizendo que o que faz a diferença na vida das pessoas é como elas escolhem lidar com o problema, com o sofrimento… Mas, apesar do sofrimento, podemos ser felizes! Isso é fato!

O texto de Rosana Braga nos ajuda a refletir sobre os caminhos que existem para lidarmos com as nossas dores…

Boa leitura!

O Bem sofrer

“Que todo mundo sofre, a gente pode imaginar.
Sinceramente, creio que não haja sequer um ser vivo nesta dimensão que não sofra.

Jesus Cristo sofreu, Dalai Lama sofreu, Bin Laden sofreu, Angelina Jolie e Brad Pitt sofrem, Bill Gates sofre, Xuxa sofre, eu sofro e suponho que você também…

Então, esse danado de sofrimento tem de servir para algo de bom!
Mas depende de nós, de como reagimos à dor, de como encaramos os momentos de angústia e aflição…

Aprender a transformar a dor em amadurecimento é uma tarefa que exige topete, como diria minha avó!

E parto do princípio de que existem três caminhos para lidar com ela, sendo que apenas um deles pode nos conduzir a uma condição realmente válida: a transformação do sofrimento em consciência e, conseqüentemente, em felicidade:

1- Fingir que não estamos sofrendo, desconectarmo-nos da dor, vestirmos uma armadura e simplesmente não entrarmos em contato com aquilo que nos machuca e nos faz perceber o quanto não sabemos lidar com a situação e, portanto, o quanto ainda temos o que aprender…

2- Sofrer exageradamente, descabidamente, nos perdendo e nos desrespeitando; passarmos a implorar pela atenção e pela piedade do outro; ignorar nossa auto-estima e, por fim, mais do que nos despedaçarmos para depois nos recompor, permitir que a dor nos faça desmanchar, até que já não mais saibamos quem realmente somos…

3- Sofrer intensa e dignamente, até compreender e assimilar que a dor é um aprendizado, um amadurecimento, um convite ao mundo de gente grande; usar a dor para evoluir, fazer diferente, reconhecer nossas limitações e transcendê-las…

Claro que a terceira opção é a mais difícil; é como arrancar a ferida sem anestesia, porque não há remédio que alivie; é fundamental sentir o que há para ser sentido, sem mascarar, sem amortecer.

Sendo assim, só existe uma coisa a fazer: encarar a si mesmo e sofrer até que desabroche o grande ensinamento.

Eis aí a mais pura e eficiente sabedoria.

Todos os problemas resolvidos?
De forma alguma.
A vida é cíclica.

O universo é perfeito; e se aqui estamos para nos tornarmos melhores, haveremos de entrar no ritmo de uma dança que intercala alegria e tristeza, amor e indiferença, equívocos e acertos, dor e felicidade, num compasso que pede, enfim, cada vez mais felicidade e menos dor!

Como?
Estando atentos todos os dias.
Admitindo os erros e nos acolhendo.
Reconhecendo o crescimento e festejando.
Olhando para isso tudo do modo mais carinhoso que conseguirmos, sem desistir: o trabalho é de formiga, dia a dia, passo a passo, sem nunca parar…

É assim: a gente repete o erro várias e várias vezes, porque uma coisa é saber e a outra é sentir e fazer…
Primeiro a gente descobre que está fazendo errado; aí tenta fazer o certo, mas ainda não sente e erra de novo.
Até que, um belo dia, a gente acorda e pensa: por que é que estou fazendo isso desse jeito?
Cai a ficha, finalmente, e daí não tem mais jeito, a gente acerta, acerta, acerta…
Só que, num outro belo dia, algo acontece e a gente se fragiliza e quando vê, está lá, errando de novo.

E assim caminha a humanidade…

O segredo?
Acertar mais vezes do que errar, porque acertar sempre é impossível.
É por isso que o caminho não tem fim, porque a gente nunca sabe tudo…
Num dia, está lá em cima, noutro dia, lá em baixo…

É o paradoxo que nos dá a noção do que realmente desejamos…

Por essas e outras, mais do que se culpar ou se afogar em lágrimas deliberadamente, procure saber e sentir, viver e agir, amar e, a despeito dos inevitáveis enganos, tentar de novo e nunca desistir, porque o objetivo é ser melhor e ser feliz!”

Aloha

Claudia Michepud Rizzo

Anúncios

6 comentários Adicione o seu

  1. rafastumpf disse:

    Este post me fez lembrar um outro de tempos atras, até fui procurar para comentar – Etapas de um aprendizado.
    Se eu sei que sou responsavel pela minha vida e procuro sempre tentar aprender algo por tras de todas situações. As vezes espero grandes lições quando na verdade era simplesmente nada no momento.
    Enfim,
    Boa reflexão.
    Paz e muita Luz
    Namastê

    1. Claudia Michepud Rizzo disse:

      Olá Rafael!
      Muito bem ler um comentário seu novamente!
      às vezes, as maiores lições estão na simplicidade…
      Lindo final de semana!
      Muita luz, sempre!
      Aloha

  2. Luiz Baron Neto disse:

    Bom dia,a todos.
    Parece que estamos diante de palavras de uma psicologa,muitas vezes se fala do mau que o capitalismo,a igreja e as crenças fizerao a humanidade e poucas vezes se fala da psicologia.Aqui parece que tudo se aprende errando e como senao fosse o bastante errando de novo.E esquecemos que antes de errar se pode perfeitamente dicernir,avaliar,concluir.etc
    Lembremos que o universo é monismo e nao dualismo,a nao ser que nos interesse que seja assim.Por que afinal de contas se trata tirar uma casquinha de tudo que for possível.
    Abraços

    1. Claudia Michepud Rizzo disse:

      Bom dia Luiz!
      Penso que todos nós, seres humanos, aprendemos com os nossos acertos e nossos erros.
      Sinceramente, não conheço ninguém que não tenha errado… Mas errar não é ruim… é uma forma de aprendizado!
      Claro que acertamos muitas vezes também! E acertar também é um aprendizado! E, na medida em que formos absorvendo todos os ensinamentos que a vida nos traz, a nossa capacidade de discernimento e avaliação aumenta…
      Linda semana para vc!
      Muita luz, sempre!
      Aloha

  3. Paula Lima disse:

    Tudo que eu precisava ler agora, obrigada Claudia!! Acho muito interessante o modo como voce finaliza todos os seus posts, com a palavra aloha. Eu moro no Hawaii a 6 anos e o site de voces tem me ajudado muito. Obrigada mais uma vez!
    Paula Lima

    1. Claudia Michepud Rizzo disse:

      Bom dia Paula!
      Que bom que, de alguma maneira, estamos conseguindo ajudá-la! Ficamos, verdadeiramente, felizes!!
      Há um post (do dia 08/março/10) que fala sobre o espírito de aloha. Acho que vale a pena ler!
      Morar no Hawai pode ser uma grande escola de sabedoria! Aproveite!
      Muita luz, sempre!
      Aloha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s