Forte é aquele que conquista a si mesmo

tesouro interno

Na história da humanidade, podemos encontrar vários exemplos de superação. Há pouco mais de um ano, nos comoveu o resgate de 33 mineiros, soterrados a uma profundidade de, aproximadamente, 700 metros, com a queda de barreiras de uma mina de carvão no Chile. Podemos imaginar a aflição dessas pessoas quando, no “fundo do poço”, se deram conta de que o pior as esperava.

Apesar do sucesso do resgate de todos eles, com vida, certamente tiveram que buscar forças e coragem para encarar esse difícil momento e aguardar uma possibilidade de salvação.

Assim, como eles, todos estamos sujeitos a enfrentar crises, que, inesperadamente, podem vir de fora e/ou vir de dentro de nós. Nessas horas, onde encontrar a fonte que nos abastece com fé, energia e coragem? Onde encontrar o ponto de conexão com Deus (Alá, Buda, … não importa o nome que se dê…)?

Reflitamos sobre isto, com a leitura do texto.

“Uma velha lenda hindu conta que houve um tempo em que todos os homens eram deuses. Mas eles abusaram de sua divindade de tal forma que Brahma, o mestre dos deuses, decidiu tirar-lhes o poder divino e escondê-lo num lugar onde lhes seria impossível recuperá-lo. O grande problema foi então encontrar um esconderijo.

Quando os deuses menores foram convocados a reunir-se em um conselho para resolver esse problema, eles propuseram:

– Enterremos a divindade do homem na terra.

Mas Brahma respondeu:

– Não, isto não é suficiente, porque o homem cavará e a encontrará.

Então os deuses replicaram:

– Neste caso, lancemos a divindade no mais profundo dos oceanos.

Mas Brahma respondeu novamente:

– Não, porque mais cedo ou mais tarde, o homem explorará as profundezas de todos os oceanos, e é certo que um dia ele a encontrará e a trará à superfície.

Então os deuses menores concluíram:

– Nós não sabemos realmente onde a esconder, porque parece não existir sobre a terra, ou dentro do mar, lugar algum que o homem não possa atingir um dia.

Então Brahma disse:

– Eis o que nós faremos com a divindade do homem: nós a esconderemos no mais profundo dele mesmo, porque esse é o único lugar onde ele não pensará jamais em procurar.

Depois dessa época, concluiu a lenda, o homem fez a volta a terra. Ele a explorou, cavou e mergulhou, à procura de alguma coisa que se encontra nele mesmo.”

Luz e autoconhecimento,

Tenório Lucena

2 comentários Adicione o seu

  1. Lindo e verdadeiro.
    Passamos anos da nossa vida cavando e buscando nas profundezas do oceano algo que está e sempre esteve dentro de nós, mas nunca pensamos em procurar…

    Abraço, paz e luz.

  2. Severino Henrique Tenorio de Lucena disse:

    Olá Paula Barcelos,

    Muitíssimo obrigado pelo teu comentário, fico feliz. Dentro de nós existe um potencial de soluções e respostas que a sábia natureza nos proveu, mas para tal precisamos enxergar o invisível em nós e isso se dá, acredito, desenvolvendo o autoconhecimento.

    Abraços e muita luz,

    Tenório Lucena

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s