Faça alguma coisa!

“Guardar ressentimento é como tomar veneno e
esperar que a outra pessoa morra.”
Shakespeare

Ao nos voltarmos para dentro de nós mesmos, podemos nos deparar com variadas lembranças positivas, mas também, encontrar pilhas e pilhas de mágoas, raiva e situações mal resolvidas.

Você já parou para sentir o quanto de medo está alojado dentro de você? Você tem medo de que? Está magoado com quem?

Provavelmente, se olharmos sem preconceitos, encontraremos algumas ‘sujeiras’ a serem limpas dentro de nós mesmos.
Para auxiliar nessa reflexão, sugiro um texto de Tadashi Kadomoto extraído e adaptado do livro “Ninguém tropeça em montanha.”

“É curioso notar que, muitas vezes, guardamos ressentimentos e mágoas de algumas pessoas por causa de problemas antigos sem que elas sequer se deem conta de ter nos causado dor. Elas podem, de fato, ignorar ter feito algo que nos machucou.
E assim vivemos primeiro um processo de raiva, que se transforma em mágoa e depois vira tristeza…

O que se nota é que a maioria das pessoas não é triste, mas sim, está triste. Se há motivo, é melhor esgotá-lo. Chore, brigue, fique de mal se for preciso, mas esgote esse sentimento em vez de perpetuá-lo. Há tristezas passageiras, ocasionadas por pequenas frustrações, e tristezas profundas, que, como alguns medos, podem ter se originado em nossa vida intra-uterina. Há tristezas de amor, de ausência de amor, de perda de entes queridos, enfim, muitos são os tipos de tristeza. O importante é fazer com que se questione:

O que tem feito para administrá-la de forma eficiente e, principalmente, para descobrir sua origem? O que tem feito de diferente para que a tristeza não o paralise?

Se a resposta for nada, chegou a hora de começar a se valorizar e mudar esse quadro.
Não há benefício nenhum em vivenciar a tristeza. É necessário ter consciência de que não existe uma borracha psicológica que apague essa tristeza ou qualquer outro sentimento.
A única solução está dentro de você. É preciso reagir!
Sair, passear, visitar amigos, matricular-se em algum curso interessante, viajar em grupo e até mesmo frequentar entidades assistenciais que precisam de voluntários. Sentir-se útil é um dos melhores remédios contra a tristeza, Acredite! Quem utilizou esse método para livrar-se da tristeza e da dor teve uma grata surpresa.
Ajudando o próximo, descobriu sua missão na vida. Como se vê, a dor não é, necessariamente, o fim de tudo.

Pode ser, pelo contrário, o começo de uma linda história”

Não importa ‘o que de desarmônico’ habita dentro de você: manifeste, expresse! Deixe, de alguma forma, essa energia seguir seu caminho. Não se entregue à tristeza como se não houvesse outros meios de reagir. Você, com sua luz e ciente de seu poder interior, é capaz de manifestar e atrair alegria e harmonia para a própria vida.

Deixar que o tempo passe, não dissolverá sentimentos como mágoa, medo e raiva. Da superfície, eles se acomodarão no íntimo do seu ser e, um certo dia, meses ou anos depois, ele virá à tona obrigando-o a lidar com a ‘sujeira’ que foi escondida no passado.

A dica que registro aqui hoje é: faça alguma coisa!!! Por menor que seja sua ação, já será um começo. Guardar desarmonia consome nossas energias e abafa nossa luz. Encare a dor e os momentos tensos da vida como uma oportunidade de reflexão e ponderação sobre o que você quer carregar na viagem da vida.

A limpeza está por sua conta.

Amor, luz e consciência. Sempre.

Cíntia Michepud

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s