O que os outros vão pensar?

eu sou mais eu

“Você não deve se preocupar com o que os outros pensam”e “Deixa pensar o que quiserem, seja você” são exemplos de frases que costumamos ouvir dezenas de vezes, ao longo de nossa existência. Levamos isso como uma máxima, um norte e, na primeira oportunidade, repetimos essa ‘sabedoria pronta’ para o amigo mais próximo.

Mas será que esse ‘conselho’ consegue sair do campo do discurso e se tornar um hábito, na prática? Poucas pessoas conseguem esse feito. No mundo em que vivemos, onde a sociedade pauta modas, o que é bonito ou feio, correto ou ilegal, se torna uma missão difícil colocar sua própria vontade acima do julgamento de terceiros.

O que minha família vai dizer? O que ele (a) pensará de mim? Será que tal pessoa me achou inconveniente, louca, carente, abusada ou qualquer outro adjetivo? Parem para refletir quantas vezes, no decorrer de nossos dias, não gastamos energia com o veredito desse julgamento e percebam como essa preocupação, em sua conclusão, nunca agrega um aprendizado… apenas inquietações.

Se não nos faz bem, está na hora de ser mudado. Entenda qual o peso que você dá para sua própria opinião e compare com o peso que você direciona para os outros. Antes de qualquer mudança, permita-se conhecer, aprenda a ouvir seu coração; para ser mais clara, para aqueles que afirmam que essas ideias são abstratas e holísticas demais, quero dizer para cada um ficar um tempo consigo próprio, fazer um balanço interno, e ter claro o que é importante e imprescindível para se viver bem.

Descobrir quais valores norteiam sua existência, quais crenças arraigadas te impedem de fazer isso ou aquilo e o que te faz feliz nem sempre é uma tarefa tão fácil. Vamos a alguns exemplos: você  recebe a proposta de uma empresa onde você terá um salário magnífico e sua perspectiva de carreira será muito grande; para você, justiça  e respeito às pessoas são valores básicos, contudo, nesse local, nem sempre o crescimento é por mérito e a justiça é feita para os merecedores. É claro que, mesmo que você aceite essa proposta por alimentar a crença de que ‘sem muito dinheiro, nunca será feliz’, será impossível encontrar motivação e, certamente, com o passar do tempo você verá que não está sendo feliz. Ou, quando você encontra uma pessoa e deseja naquele momento conversar com ela e não vai: você aprendeu a ‘não falar com estranhos’ ou que ‘mulher não deve tomar a iniciativa’ ou simplesmente que ‘é errado’ e, por ressalva ao que os outros vão pensar, você perde a oportunidade de conhecer alguém interessante ou, no mínimo, ter uma conversa diferente das usuais.

O que quero dizer com tudo isso é que quando passamos a colocar nossa vontade sobre a vontade dos outros, a vida fica muito mais leve. Deixem de lado, o máximo que conseguirem, a necessidade incessante de aprovação e a cachoeira de expectativas que a acompanha.

Viva, simplesmente. Faça o que tiver vontade e deixe seus reais valores pautarem suas decisões, e não suas crenças. A alma é sábia e, quando passamos a segui-la, os caminhos podem se tornar muito mais prazerosos e condizentes com o nosso real querer.

Amor, luz e consciência. Sempre.

Cíntia Michepud

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s