Desapega!

desapego

E a vida vai acontecendo, o tempo passando e, com ele, centenas de situações e pessoas vão sendo colocadas na estante das nossas memórias. Algumas podem ser doces, outras nem tão agradáveis assim. O que acontece é que, muitas vezes, não percebemos que o que passou recebe de nós maior importância do que o que está acontecendo agora.

Até mesmo no momento de agora estamos rodeados por gente ou vivências que não nos agradam e, por algum motivo, queremos mantê-las próximas. Seja um trabalho, por comodidade ou falta de autoconfiança, seja um amigo que nos traz uma sensação de pertencimento ou um relacionamento…

A imagem desse post já resume a essência da mensagem: Desapega!!!

Deixar ir aquilo que não te agrega. Deixar a vida fluir, o destino se cumprir e os dias tomarem seus rumos. Somos acostumados a manter pessoas e situações em nossas vidas para que supram carências internas. Porém, quando fazemos isso, esquecemos que estamos impedindo que situações melhores aconteçam e que outras pessoas apareçam.

Viver sem o peso do passado e sem expectativas no futuro é uma arte que precisa ser desenvolvida. Desapegar das lembranças da infância, do relacionamento que se findou, da viagem que não foi feita ou até de uma roupa velha com ‘tantas histórias’; desapegar da vontade de controlar o futuro, do desejo de ter respostas prontas e da espera de determinada reação de terceiros… tudo isso precisa ser trabalhado para uma felicidade mais genuína.

Estamos nessa vida de passagem e não tem porque desperdiçarmos energia com culpas e medos, nem tampouco com bagagens cheias de itens sem serventia, que fazemos questão de carregar por questões emocionais. Do que passou, retire o aprendizado para evitar que se caminhe novamente pela mesma estrada errada; do que virá, mantenha a esperança e deixe a vida te surpreender, sempre acreditando que está ‘tudo certo’ e que tudo tem o seu tempo de acontecer.

Se não deu certo, não te faz feliz, te causa mágoa, aperto no coração ou estafa mental… Deixe Ir!!! Não tente insistir na semeadura que você já viu que não irá florescer no seu solo. Gaste seu tempo cuidando da sua terra, do seu coração, do seu jardim. Novas e outras sementes poderão ser testadas e dar belíssimas flores e frutos se você livrar suas terras das ervas daninhas.

O mais importante: nunca duvide da fertilidade do seu solo e nem tente mudar suas características para que determinadas sementes se aconcheguem e brotem. Não há solidez em mudanças que não são profundas e, cedo ou tarde, a árvore gerada nessa terra terá suas raízes corroídas e desgastadas.

O que pretendo dizer com tudo isso é para que nunca deixe de ser quem realmente você é, por nada nem ninguém. Se trabalhos, amores, colegas e acontecimentos não o fazem feliz, deixe passar, não alimente e nem regue mais.

A vida passa super rápido. Permita que ela siga seu fluxo e confie no melhor, sem apegos, sem medos.

Amor, luz e consciência. Sempre.

Cíntia Michepud

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s