Itinerário…

flor-em-botão-dos-lótus-15010992

Compartilho com vocês, um belíssimo texto de Ana Jácomo, que nos permite refletir sobre os caminhos que podemos trilhar para que “não passemos”, simplesmente, pela vida…
É preciso querer fazer a diferença para nós mesmo… É preciso sonhar e realizar… É preciso ser…
Boa leitura!

Itinerário

“Não quero viver como uma planta que engasga e não diz a sua flor.
Como um pássaro que mantém os pés atados a um visgo imaginário.
Como um texto que tece centenas de parágrafos sem dar o recado pretendido.
Que eu saiba fazer os meus sonhos frutificarem a sua música.

Que eu não me especialize em desculpas que me desviem dos meus prazeres.
Que eu consiga derreter as grades de cera que me afastam da minha vontade.
Que a cada manhã, ao acordar, eu desperte um pouco mais para o que verdadeiramente me interessa.

Não quero olhar para trás, lá na frente, e descobrir quilômetros de terreno baldio que eu não soube cultivar. Calhamaços de páginas em branco à espera de uma história que se parecesse comigo. Não quero perceber que, embora desejasse grande, amei pequeno.

Que deixei escapulir as oportunidades capazes de bordar mais alegrias na minha vida.
Que me atolei na areia movediça do tédio.
Que a quantidade de energia desperdiçada com tantas tolices poderia ter sido útil para levar luz a algumas sombras, a começar pelas minhas.

Que eu suba as minhas asas, ainda que com medo. Que, ainda que com medo, eu avance.
Que eu não me encabule jamais por sentir ternura.
Que eu me enamore com a pureza das almas que vivem cada encontro com os tons mais contentes da sua caixa de lápis de cor.

Que o Deus que brinca em mim convide para brincar o Deus que mora nas pessoas.
Que eu tenha delicadeza para acolher aqueles que entrarem na roda e sabedoria para abençoar aqueles que dela se retirarem.
Que, durante a viagem, eu possa saborear paisagens já contempladas com olhos admirados de quem se encanta pela primeira vez.

Que, diante de cada beleza, o meu olhar inaugure detalhes, ângulos, leituras, que passaram despercebidos no olhar anterior.
Que eu me conceda a bênção de ter olhos que não se fechem ao espetáculo precioso da natureza, há milênios em cartaz, com ou sem plateia.

Quero aprender a ser cada vez mais maleável comigo e com os outros.
Desapertar a rigidez.
Rir mais vezes a partir do coração.

Quero ter cuidado para não soltar a minha mão da mão da generosidade, durante o percurso. E, quando soltá-la, pelas distrações causadas pelo egoísmo, quero ter a atenção para sincronizar o meu passo com o dela de novo.

Quero ser respeitosa com as limitações alheias e me recordar mais vezes o quanto é trabalhoso amadurecer.
Quero aprender a converter toda a energia disponível às mudanças que me são necessárias, em vez de empregá-la no julgamento das outras pessoas.

Que as dificuldades que eu experimentar ao longo da jornada não me roubem a capacidade de encanto.
A coragem para me aproximar, um pouquinho mais a cada dia, da realização de cada sonho que me move.
A ideia de que a minha vida possa somar no mundo, de alguma forma.
A intenção de não morrer como uma planta que engasgou e não disse a sua flor.”

Aloha

Claudia Michepud Rizzo

2 comentários Adicione o seu

  1. Lindo demais! Tudo a ver com o momento que estou passando na minha vida. Acordar com essa mensagem no meu email foi uma bênção.

    1. Claudia Michepud Rizzo disse:

      Que bom Fernanda!!
      Que as bençãos divinas recaiam sobre sua vida e suas escolhas!
      Aloha

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s