Contaminação energética

energia
Proponho, para o início da semana, uma reflexão sobre o quanto somos influenciados pelas energias que nos cercam, tanto positivamente quanto de maneira negativa. Dai a importância de nos mantermos centrados e equilibrados…
O texto de Maria Silvia Orlovas nos traz pontos de esclarecimento sobre este assunto.
Boa leitura!

“Por que acontece de nos contaminarmos pelas energias das pessoas ou dos ambientes?

Tenho certeza que você já reparou que um dia estava bem, mas quando conversou com alguém ficou com dores nas costas ou dor de cabeça, pois isso é muito comum. Devemos observar que o tempo todo estamos trocando energias com as pessoas e com tudo o que acontece à nossa volta. Estamos constantemente em transformação e trocar energias, palavras e atitudes com as pessoas faz parte dessa circulação da vida.

Assim, podemos ter certeza que a felicidade nunca poderá ser solitária, como a conquista de apenas uma pessoa. Esse sentimento não duraria nem um segundo se fosse maculado pelo egoísmo. Para vibrar de forma positiva, precisamos do outro. Afinal, é muito bom compartilhar, pois se o mundo ao nosso redor está feliz, facilmente mantemos a felicidade.

Recebi um e-mail que me fez pensar em compartilhar esses pensamentos com mais pessoas. Ana Lucia, a leitora que me escreveu, comentou que todas as semanas sua vizinha brigava com o marido, gritava com os filhos e fazia um verdadeiro inferno na casa dela o que incomodava toda a vizinhança. Passado um tempo, ela começou a observar que na semana seguinte ela e o marido estavam brigando da mesma forma e sentiu que isso não era algo comum na vida deles e me perguntou se seria possível estarem trocando energias e ela e a família estarem sofrendo uma contaminação energética por causa das vibrações negativas que estavam circulando por lá.

Achei bem interessante essa constatação de Ana Lúcia porque, de fato, isso costuma acontecer sem que notemos. Ficamos tristes, acabrunhados ou com raiva, mas, normalmente, não percebemos prontamente as causas da confusão mental que se abate sobre nós.

Você já notou suas atitudes no trânsito?Já notou que às vezes está tranquilo seguindo seu caminho e, de repente, quando recebe uma fechada termina gritando, xingando a pessoa do outro carro sem nenhum tipo de respeito? Pois bem, com facilidade nos deixamos contaminar pelas baixas vibrações por não estarmos vigiando nossos pensamentos.

Tristeza, por exemplo, atrai facilmente mais tristeza porque todo mundo tem sempre uma pedrinha no sapato, algo que não está correndo da forma que gostaríamos, algo que foge do nosso controle ou que não vai bem. Todo mundo tem um motivo de tristeza e quando sente essa vibração emanando de alguém ou de um ambiente, imediatamente, soma de forma inconsciente com as causas internas e aceita a energia. É nesse ponto que entra a máxima de mestre Jesus: Orai e vigiai.

Devemos fazer como Ana Lúcia e nos perguntarmos por que brigamos… Mas, é claro que a culpa não é da vizinha. As pessoas à nossa volta têm seus motivos para viver seus descompassos e nós temos os nossos. Precisamos observar quais forças nos movem. Se sentimos raiva de alguém, será que temos que expressar? Será curativo falar sempre o que pensamos? Adianta deixar clara nossa posição? E, enfim, será esse o momento correto de se colocar?

Como mãe, sei que criar filhos não é nada fácil. Na intimidade de muitos lares, as pessoas constantemente perdem a compostura, gritam, ofendem as pessoas que mais amam e até são violentas. Se dão o direito de agir assim e até de falar tudo o que pensam justamente porque estão em casa e com isso tornam o ambiente doméstico um inferno, porque palavras ditas ao acaso não voltam, não podem ser dissolvidas da mesma forma que as agressões físicas, não podem ser retiradas. As palavras e as atitudes são como lanças cortantes que uma vez tendo atingido o parceiro, o filho, os pais, ali deixarão suas marcas.

Dessa forma, para manter sua luz individual e conviver no mundo com mais harmonia observe as ondas que tomam conta da sua emoção. Quando ficar com raiva não se dê o direito de expressá-la livremente.

Se você precisa falar algo com alguém, colocar um limite em suas relações, se defender de algo que considera errado, faça isso, mas com luz, com sabedoria. Às vezes, é uma questão apenas de paciência. Quando repensamos algumas atitudes, sempre os fatos serenam nossa mente e outras ideias surgem. Às vezes, é fundamental se colocar no lugar do outro e tentar compreender uma atitude ou um ato ignorante.

Não aja por impulso, saiba se assenhorar de si mesmo e veja que quando algo acontece e vibra em você é porque encontrou ressonância no seu coração. Isso significa que se vibrou como uma raiva, ou dor é porque esse sentimento está em você e que o que aconteceu externamente foi apenas o estopim da bomba.

Para nos curar, não precisamos de culpados, de elementos críticos que exigiram de nós um posicionamento. Precisamos é de um raciocínio tranquilo, de auto-observação e de força de vontade para mudar as atitudes negativas que carregamos conosco. Como já dizia o velho ditado: Quando um não quer, dois não brigam, e não há contaminação que se infiltre numa mente serena e num coração conectado com seu Deus interior.”

Aloha

Claudia Michepud Rizzo

2 comentários Adicione o seu

  1. Oliver Campos disse:

    Muito bom o texto!😀
    Orai e vigiai ^_^

  2. Existem exercícios que trabalham nosso corpo energético. Pratico toda manhã e toda noite antes de dormir. Sintonia, ascepcia e harmonia são as palavras chaves que uso. O resultado é uma boa imunização contra energias negativas e um bem estar geral.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s