Porque descontar em quem nos ama não faz sentido!

 

É na nossa casa que muitas vezes nos sentimos bem. Nela encontramos nossas coisas, nosso espaço, nossa energia… aquela que reconforta, acolhe, energiza. Podemos encontrar nossos familiares ou simplesmente aquele cantinho que é ‘tão nosso’. Naqueles dias em que nos sentimos estressados ou desernegizados, sonhamos com a possibilidade de voltar para onde restabelecemos nossa harmonia.

Mas, essa busca de energia, muitas vezes não é física. Ela extrapola as paredes físicas e, é no abraço do parceiro, em uma conversa com um amigo ou na palavra dos pais que encontramos o que de fato nossa alma procura: paz! Tem gente que tem cheiro de lar, olhar adocicado, voz acolhedora e um poder indescritível de espantar qualquer ‘fantasma’ de nós! Com elas, nossos problemas tomam a sua real proporção e, se a solução não surge como mágica nesse ambiente tranquilo, o abraço reconforta e, sem palavras, diz que o tempo passa e que tudo vai acabar bem.
Mas agora me respondam: porque é justamente nessas pessoas que descontamos nossa irritação, nossa raiva, nosso mal humor? Logo nessas pessoas que só tem amor e carinho por nós?

Imagine uma situação hipotética: você teve um dia cheio no trabalho. No retorno para casa, à caminho de reencontrar a namorada, o esposo, os pais ou os filhos, você recebe um e-mail estressante ou uma ligação grosseira. Ao chegar em casa, não importa o convite para brincar do filho, o abraço amoroso da namorada ou a conversa do dia a dia que sua mãe queira compartilhar: você ignora, pede um tempo, se irrita… e o abraço não é correspondido. A brincadeira, fica para amanhã. O dia dos seus familiares, ficou para trás junto com algumas ‘alfinetadas’ que você disparou no caminho em quem mais ama.

Agora honestamente, olhando de fora, isso faz algum sentido? Mas é o que mais fazemos, não é mesmo?

Trouxe essa reflexão para convidar a todos a fazer do nosso universo particular um lugar com mais amor. Ninguém tem culpa dos fatores externos que te tiraram do eixo. Ninguém é responsável por você ter se permitido desequilibrar por conta de um e-mail, de uma reunião ou de um telefonema. Compartilhar é essencial, torna a vida mais leve mas, tendo consciência disso, podemos receber o amor de nossos queridos, o antídoto mais potente para qualquer stress do dia a dia contudo, assim como precisamos estar abertos para nos deixar contaminar por ódio, inveja e harmonia, devemos estar abertos para receber o amor de quem nos quer bem.
Pensem nisso. Eu vou pensar (e começar a agir) por aqui também!

Amor, luz e consciência. Sempre!

Cíntia Michepud

2 comentários Adicione o seu

  1. Guilherme disse:

    Muito bom o texto, hoje mesmo , passei por uma situação similar, estou meio carregado com as coisa da minha rotina, mudanças e tals. hoje resolvi continuar uma conversa que deu inicio ontem, porem sem perceber estava passando a ela o stress que estava me prejudicando, ela cabo se sentindo culpada, não conseguimos finalizar a conversa, porem esse texto, me ajudou a encontrar um caminho diferente. Penso agora em refletir no ocorrido, me desculpar com ela e ajuda-la a dissipar todo stress que a carreguei. Muito obrigado pelo Artigo, parabéns!

    1. Cíntia Michepud disse:

      Guilherme,

      Fico muito feliz em saber dessa sua tomada de consciência!
      Agradeço por compartilhar conosco,
      Namastê!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s