Deixa a mudança acontecer…

A vida nem sempre avisa que vai começar uma reviravolta na sua vida. Na verdade, acredito que quase nunca! Acredito também que esse ‘aviso’ não nos é dado pois, com nossa mente humana e necessidade incessante de controle, muito provavelmente fugiríamos do impasse e deixaríamos a nossa própria evolução em segundo plano.

Assim como tudo na natureza, a vida é mutável. Ciclos se fecham e, necessariamente, outros ciclos se iniciam trazendo, junto com esses términos e recomeços, maturidade, reflexões e escolhas… inclusive a de lidar com as mudanças. Ou não.
Podemos aceitar o convite da Vida e mergulharmos de cabeça em nosso interior, levantando nossos medos, crenças e revendo nossos valores que há gerações guiam nossa existência. Porém, também nos é permitido viver em um estado dormente, letárgico, deixando apenas que o tempo passe sem vivenciar qualquer reflexão frente às situações vividas.

Queridos, o livre-arbítrio é fato! Nós podemos absolutamente tudo – nos basta escolher. Contudo, cada escolha gera uma colheita. O que se planta, se colhe… já ouviu isso? Podemos escolher nos auto trabalhar com paciência e amorosidade ou com ansiedade e autopunição. Também podemos escolher não trabalhar nenhum aspecto emocional, mental ou espiritual. Essas escolhas vão determinar a velocidade da nossa evolução e o quanto estamos nos abrindo para manifestar as bençãos divinas em nossas vidas!

Sugiro que não se torturem ou se cobrem demais nesse caminho do autoconhecimento e do aprendizado. E sugiro, com mais afinco que, em hipótese alguma, assumam o comodismo e a inconsciência como caminho nessa jornada.

A mudança vem de diferentes formas em absolutamente todos os aspectos da vida. Somos convidados a evoluir continuamente e precisamos aprender o caminho para lidar com as transformações de uma forma harmoniosa, paciente e leve. Harmoniosa pois é da maneira que encaramos a vida que ela vai se apresentar para nós. Paciente, porque assim como as borboletas, precisamos de um tempo para amadurecermos a ponto de romper o próprio casulo. Leve, pois se faz necessário abandonar a crença de religiões antigas de que o sofrimento é necessário para a bem-aventurança. Esse, meus queridos, é o caminho do amor e é para isso que estamos aqui, nessa Terra de meu Deus! Para evoluirmos e sermos felizes, pessoas de bem com a vida.

Aceitem as mudanças que lhes são dadas como presentes, e não como fardos. Proponham-se a trabalhar melhor suas asas, sua percepção, suas forças para que cada casulo detectado seja rompido por mérito próprio e não queira rompê-los antes do tempo arriscando, assim, sua própria existência. Lembrem-se que tudo, TUDO o que você vive foi criação de sua autoria. Aceitem e trabalhem para mudar a sua realidade, eliminar cada um dos casulos e, a partir daí, VOE. Voe vôos cada vez mais altos, mais harmônicos, mais leves.

A força existe dentro de você. Assim como todo amor, energia e paz que você precisa para passar por cada um dos desafios e mudanças que se apresentam. Sendo assim, esqueça o papel de vítima e decida despertar pondo fim à letargia e ao seu lado que quer ‘fingir que nada está acontecendo’.

Lindos vôos para você!

Amor, luz e consciência. Sempre.

Cíñtia Rizzö

 

1 comentário Adicione o seu

  1. Kathllyn Adriani disse:

    Lindo texto😉

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s